Sunday, July 02, 2006

Ando á Deriva...


Mas que sei eu

Mas que sei eu das folhas no outono
ao vento vorazmente arremessadas
quando eu passo pelas madrugadas
tal como passaria qualquer dono?

Eu sei que é vão o vento e lento o sono
e acabam coisas mal principiadas
no ínvio precipício das geadas
que pressinto no meu fundo abandono

Nenhum súbito súbdito lamenta
a dor de assim passar que me atormenta
e me ergue no ar como outra folha

qualquer. Mas eu que sei destas manhãs?
As coisas vêm vão e são tão vãs
como este olhar que ignoro que me olha
Ruy Belo

5 moonlovers:

Blogger João Barbosa said...

belíssimo poema.

Sunday, July 02, 2006 11:27:00 am  
Blogger Moonlover said...

É mesmo! e reflecte exactamente o que sinto.
como não consigo escrever sobre mim ou sobre o que me emociona, procuro nos poemas esse relexo.
obrigada pela visita,
bjs.

Sunday, July 02, 2006 11:40:00 am  
Blogger Arti Honrao said...

What does this mean and which language is this?



GBU
Arti

Monday, July 03, 2006 7:50:00 am  
Blogger Moonlover said...

Dear Arti,
this is Portuguese, and it mean more or less this:

But what do I know about winter leafes
trown into the wind greedly
when I pass thru the dawns
as it would pass any owner?

I know that goes the wind and slow the wind
and it ends bad what started wrong
in the fall of the frost
i feel my deep abandonment

no subdit sundently sorow
the pain as the passing torments me
and it raise me in the air as another leaf

any. but what do I know of this mornings?
Things go and come as their are so vains
as this look that I ignore that look at me.

Monday, July 03, 2006 8:30:00 am  
Anonymous carla graca said...

Moon!
É verão, deixa o sol aquecer os teus dias e a lua iluminar as tuas noites!!
Todos os princípios são dificeis...
Todos os finais são tristes...
Olha... Procura à tua volta e talvez descubras que não estás só... Afinal valeu a pena!
Estou contigo!!

Wednesday, July 05, 2006 9:55:00 am  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home