Sunday, November 26, 2006

Homenagem a Cesariny


visto a esta luz

Visto a esta luz és um porto de mar
como reverberos de ondas onde havia mãos
rebocadores na brancura dos braços

Constroem-te um ponte
que deverá cingir-te os rins para sempre

O que há horrível no teu corpo diurno
é a sua avareza de palavras
és tu inutilmente iluminado e quente
como um resto saído de outras eras
que te fizeram carne e se foram embora
porque verdade sem erro certo verdadeiro
nada era noite bastante para tocarmos melhor
as nossas mãos de nautas navegando o espaço
os corpos um e dois do navio de espelhos
filhos e filhas do imponderável
de cabeça para baixo a ver a terra girar

Quero-te sempre como nã querer-te?
mas esta luz de sinopla nas calças!
este interposto objecto
e o seu leve peso de eternidade

Mário Cesariny (1923-2006)

Labels: ,

4 moonlovers:

Anonymous Secreta said...

Portugal ficou mais pobre , sem dúvida.
Beijito.

Tuesday, November 28, 2006 10:43:00 am  
Blogger azzrael said...

Tenho pena que mais um simbolo da cultura portuguesa tenha desvanecido antes de o ter "conhecido"... Nunca tinha ouvido falar dele.

Tuesday, November 28, 2006 11:57:00 am  
Blogger Moonlover said...

um bj para a Secreta.
Azzrael, nao te preocupes! com a tua idade ainda tens muitos anos e muitos poetas para conhecer ;)

Wednesday, November 29, 2006 12:48:00 am  
Blogger AMMedeiros said...

Partem homens como este e poucos restam que gritem aos ouvidos de selectiva audição tudo o que comporta a palavra LIBERDADE e que a exercitem plenamente na sua vida como o próprio...
Bonita homenagem.

Um beijo

Thursday, November 30, 2006 12:10:00 pm  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home