Sunday, September 24, 2006

Poema

Photo by: Fritsh

Chegar de longe, de tão longe…
E esquecer de onde se chega.
E esquecer que foi ausência,
O tempo em que fomos dois.
E querer-te meu poema.
Inteiro, descoberto, completo
Corpo nu que reinvento
Corpo nu que alimento
Poema amor, poema afecto
Ternura guardada em mim.
E nos gestos de hoje,
Sem passado.
E nos gestos de desejo,
Adiados.
Descubro os meus
Secretos, calados.
Descubro os teus
Que sonhei em mim.
Chegar de longe,
De tão longe…
E querer-te meu poema
E saber-te minha rima
E amar-te corpo meu.

Encandescente

4 moonlovers:

Blogger cavalo marinho com asas said...

És tu, és mesmo tu, linda, sem limites, com asas que crescem dia a dia! Continua, voa, vai ao fim do mundo e volta porque me fazes falta! Adoro-te!!

Monday, September 25, 2006 12:35:00 am  
Blogger Moonlover said...

Obrigada Amiga :)

Monday, September 25, 2006 10:51:00 am  
Anonymous amiga discreta said...

Partilhei tua tristeza em silêncio. Agora venho festejar, porque se nota ke já estás na boa, já encontraste o corpo da tua rima. Tens kurtido bué, minha amiga? Fixe. Fico feliz por ti.

Monday, September 25, 2006 4:07:00 pm  
Blogger Moonlover said...

Não Discreta amiga!!!
Ainda não estou na boa:(
As pessoas continuam a desiludir-me, até aquelas de quem eu menos esperava...
Gostei deste poema que li num blog como podes consultar no link.
***************************************b

Monday, September 25, 2006 5:21:00 pm  

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home